O CONADIZ e a Pastoral da Igreja

O dízimo é um instrumento prático de inestimável valor na superação do individualismo cristão

Recentemente, participávamos em São Paulo/SP do  terceiro CONADIZ – Congresso Nacional da Pastoral do Dízimo e da Partilha – uma importante iniciativa da PROMOCAT, cujos frutos já foram sentidos desde o início da preparação do congresso e que agora são evidentes para as centenas de comunidades representadas naqueles dias de estudo e partilha de experiências.

Também para aqueles que atuamos como mediadores nesse processo reflexivo, colaborando com nossas experiências e abordagens do tema, foi um momento de rico convívio e aprimoramento. Não só os presentes se enriqueceram com a iniciativa, mas sem duvida toda a Igreja do Brasil, dado o alcance desse tema para toda a abertura eclesiológica que o dízimo sugere.

O Papa Francisco insiste sempre na necessidade de que a Igreja o seja em processo “de saída”. Não se trata, seguramente, de uma saída geográfica mas sobretudo de uma saída de si mesma, para que atinja  as periferias existenciais na missão de evangelizar. Creio que uma reflexão coerente e fundamentada sobre o dízimo seja uma proposta nesse processo de “sair de si”.

Nossa época é fortemente caracterizada pelo individualismo, que massacra um após outro todos os aspectos da vida do homem crido para a abertura aos demais e ao transcendente. Nesse processo de fechamento e consequente empobrecimento a vida de fé não está imune. Assim, torna-se corriqueiro a disseminação de espiritualidades e práticas religiosas que marcadamente individualistas fecham-se para o profundo sentido da vida cristã.

Como resultado do individualismo religioso temos o enfraquecimento da pastoral nas comunidades e mesmo o esfacelamento do sentido de “comum-unidade”. Nesse contexto, muitas vezes a vida de igreja torna-se relevante exclusivamente no seu aspecto cúltico, em detrimento de todas as outras dimensões do ser comunidade. A instrumentalização cresce, na medida em que o envolvimento definha.

Pensando nessa realidade, creio que uma abordagem madura e corajosa da pastoral do dízimo, é uma das maneiras, e maneira especialíssima, de trazer à tona essa reflexão sobre o verdadeiro envolvimento que é esperado de cada batizado na vida de comunidade. O dízimo não é a mera doação de determinada importância ou porcentagem, mas quando compreendido no seu sentido de conversão para a comunidade, caracteriza um verdadeiro abrir-se para vida cristã, caracterizada pelo cuidado do outro, capaz de nos levar a Deus.

O dízimo é um instrumento prático de inestimável valor na superação do individualismo cristão. É uma promoção da pastoral da comunidade. O dízimo ajuda o fiel a sentir, ainda mais, que ele é o protagonista da evangelização. Vai fazer da Igreja de Jesus Cristo um ambiente próprio à reflexão e a à escuta orante da Palavra de Deus e da Igreja um lugar da oração pessoal/comunitária e da vivência dos sacramentos.

Participe do 4º Conadiz, que acontecerá de 1  a 3 de junho de 2018 em São Paulo/SP, ExpoCatólica.

Acesse o site e faça sua inscrição >>> http://conadiz.catholicus.org.br/

 

Faça um comentário